A empresa goiana Creme Mel, líder no mercado de sorvetes e picolés nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, tornou-se a maior fabricante de sorvete genuinamente brasileira e um dos maiores players da América Latina no mercado ao fazer a aquisição da empresa pernambucana Zeca’s Sorvetes, que é a maior do Nordeste no segmento e a quinta do País. O anuncio foi feito na manhã de ontem. A diretoria da empresa goiana foi até Abreu de Lima, em Pernambuco, para conhecer as instalações da nova aquisição e comunicar aos 600 colaboradores. Os 1.000 funcionários da indústria em Goiânia também foram informados na manhã de ontem. Com a aquisição, a empresa se consolida na terceira posição no ranking do mercado brasileiro, com vendas em 17 Estados.

De acordo com o gerente Nacional de Vendas da empresa, Milvan Gregorin, a transação trará um crescimento para Goiás, com representatividade ainda maior do setor no País. Gregorin ressalta que a empresa nordestina tem uma estrutura semelhante a que existe em Goiânia, o que facilitará todo o processo de adaptação. “Estamos em fase de estudo para conhecer a realidade de cada empresa e realizar os investimentos necessários. Nossa intenção é de ser a maior indústria do País no setor”, aponta. Conforme a direção da Creme Mel, até o fim de 2015 a nova filial deverá receber investimentos da ordem de R$ 20 milhões, o que deverá elevar o crescimento em até 25%.

Em entrevista ao jornal Diário da Manhã, o diretor presidente da Creme Mel, Antônio Benedito dos Santos, ressaltou que o negócio será benéfico não apenas para as empresas, mas também para as regiões onde as unidades fabris estão localizadas, Goiânia e Abreu de Lima. “A Creme Mel é líder regional e, em Recife, a Zeca’s é líder de mercado nacional. Desta forma, a aquisição forma uma indústria 100% brasileira”, ressalta. O valor da negociação entre as duas empresas permanecerá em sigilo, conforme Antônio Benedito, que destaca que há mais de um ano as empresas estão negociando. “Tem mais de um ano que estamos em processo de negocição. Já conhecia a empresa e o antigo dono. Esta é uma região que queríamos atuar há muito tempo, então seria melhor adquirir uma empresa local do que abrir uma concorrente”, conta. Antônio Benedito ainda ressalta que os investimentos que deverão ser realizados na unidade no Nordeste é para a modernização da fábrica, para facilitar a produção. “Estamos confiantes de que a aquisição da Zeca’s não apenas formará a maior companhia de sorvetes independente do Brasil, como irá reforçar nosso comprometimento com a qualidade do produto e satisfação do consumidor para atingirmos a liderança no mercado nacional”.

Novos Mercados

Conforme o gerente Nacional de Vendas, as duas marcas serão mantidas devido a força que cada uma tem em suas respectivas regiões, mas sinaliza que existe previsão de lançamentos de novos produtos futuramente. Gregorin também revela a intenção que a empresa tem em conquistar o mercado estrangeiro, já iniciado estudos do setor. “Tem olhos para o exterior sim e estamos em fase embrionária. O mercado brasileiro ainda é aquém do mercado internacional, visto que o consumo é menor, mas vemos a possibilidade de expandir para outros países”, acredita. O presidente da empresa também acredita em tal expansão, mas sem diversificar as operações, “vamos diversificar em produtos, mas continuar atuando somente no mercado de sorvetes e picolés”.

Em relação à recessão na economia brasileira, Antônio Benedito é determinado ao afirmar que, mesmo com a crise, é possível crescer e se destacar no mercado e que a aquisição de uma nova empresa ocorreu no momento adequado. “Não podemos apenas pensar que as coisas estão ruins, temos que acreditar que a economia vai melhorar. Tenho certeza que um produto de qualidade sempre terá espaço para crescer um pouquinho mais e conquistar novos clientes a cada dia”, afirma. Gregorin ressalta que em momentos de crise que as grandes empresas conseguem ver as oportunidades e se destacarem no mercado. “A empresa acredita no crescimento do mercado e, em nesse momento de crise percebemos uma excelente oportunidade de crescer”.

 

Fonte: DM