O Centro-Oeste é responsável por 48,5% da produção nacional de soja, uma das principais commodities do agronegócio brasileiro. De acordo com dados da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, levantados pela Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, a produção regional da oleaginosa cresceu 69,8% em dez anos, saindo de 24,6 milhões de toneladas em 2004 para 41,8 milhões de toneladas na safra 2013/14. Com o objetivo de evidenciar a potencialidade da região, considerada eixo do agronegócio, será realizada nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande/MS, a 3ª edição da Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central.

Com o tema “Conectando o campo e a cidade’, a feira que é a vitrine do agronegócio reunirá as principais informações e tecnologias sobre o setor. Realizada a cada dois anos, o evento acontece rotativamente nas capitais dos Estados do Centro-oeste. A primeira ocorreu em Goiânia, a segunda em Cuiabá e agora é a vez da capital sul-mato-grossense. A Bienal é organizada pelas federações de agricultura e pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Mato Grosso (Famato), Goiás (Faeg) e Distrito Federal (Fape-DF).

Com eventos paralelos, palestras, workshops e painéis de discussão, serão apresentadas questões estratégicas do setor. Além de demonstração de tecnologias de empresas ligadas ao setor, o evento terá discussões técnicas de temas específicos nas áreas da agricultura, pesquisa, ciência, tecnologia, clima e educação. Um dos destaques da realização é uma programação paralela, tal como um encontro para jornalistas com o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, na véspera do evento.

O presidente da Famasul, Nilton Pickler, ressalta que a Bienal vai evidenciar o desenvolvimento regional e, ao apresentar novas tecnologias, contribuir para o aumento do potencial produtivo da região. “O evento reúne no mesmo lugar as atualidades tecnológicas e informações atualizadas, colocando na mesa os temas mais emergentes para o agronegócio brasileiro”.

Sobre a Bienal – A vitrine do agronegócio já está na agenda dos principais eventos do setor no País. A feira é promovida pelas federações agropecuárias do Brasil Central, entidades que trabalham na defesa do produtor rural, agrupam serviços de aprendizagem e sindicatos e fazem parte da CNA – Confederação da Pecuária e Agricultura do Brasil, que atua no âmbito político nacional e tem representantes nos 26 estados e no Distrito Federal.

 

Fonte: CNA19